Treinamento de Slalom
Por Chris Parker*

Minha forma de treinamento de slalom preferida é o método Weave-A-Matic (disponível nos Estados Unidos na Max200, tel.: (800) 446-2920).

Todos meus cães que quebraram recordes mundiais de velocidade no slalom (Cajun, Golden Retriever e Mayhem, Border Collie) foram treinados desde o começo com esse método.

Alguns de meus cães anteriores foram treinados com o método "channel/chute" (Obs: channel quer dizer canal e chute, quer dizer rampa ou calha). Eu descobri que, para mim, esse método criou cães "saltitantes", que colocam as duas patas de cada lado das varas e pulam de um lado para o outro, na verdade contornando as varas; sendo que alguns se entortam demais (NOTA: cães com a traseira curta e alguns cães pequenos tendem a saltitar independente do método usado). Não que haja algo errado com cães pulando pelas varas. É simplesmente o jeito que não quero que meus cães façam o slalom. Tenho certeza que há muitas pessoas que treinaram cães para o "single track" (uma pata de cada lado de cada vara) com "channels/chutes". Eu só não tive sucesso com o "single track" com "channels/chutes" com meus cães ou com os cães de meus alunos.

 

Meu objetivo geral no ensino do slalom é que eu quero que os cães façam o obstáculo entre as varas, não ao redor delas. Eu quero que o cão mantenha uma linha muito estreita, rápida e eficiente pelas varas e encontre e mantenha um ritmo com suas passadas, por todo o caminho do slalom, sem quebrar as passadas.

Com o método "WAM", eu introduzo o cão ao slalom totalmente aberto. Eu trabalho com os cães de uma posição de chamada (eu não caminho ao lado dos cães). Eu uso um assistente se tiver cães jovens que não fiquem. Eu fico na linha do slalom com a base aberta. Eu seguro um brinquedo/petisco exatamente na altura da cabeça do cão e centralizado nas varas. Com o brinquedo/petisco na altura da cabeça do cão, eu trabalho de forma a encorajar o cão a manter sua linha superior no nível de sua cabeça, pescoço e ombros. Isso encoraja o cão a usar sua cabeça e ombros para empurrar as varas para os lados. Cães não tendem a pular quando eles estão se guiando pelos focinhos. Então você termina com um cão que faz "single track" no slalom, que avança e empurra as varas para os lados. Outra coisa que funciona nesse ponto para encorajar o "single track" é colocar uma guia e uma coleira com fivela no cão e ter alguém segurando a guia por trás do cão, mantendo uma pequena pressão na guia, fazendo com que o cão puxe um pouco. Nunca tive de fazer isso, mas já vi sendo feito e funciona bem para cães que são estruturalmente capazes de fazer o "single track", mas eles têm dificuldades em encontrar o ritmo.

Uma vez que o cão ganhe confiança e compreensão, começo a mover as varas para uma posição perpendicular, lentamente (começando no centro das varas e trabalhando nessa posição). Eu meço a confiança e a compreensão do cão quando ele passa pelas varas do slalom com ritmo e/ou começa a tentar pular pelos fundos das varas para chegar até mim. Eu fico cerca de seis polegadas fora do centro (centralizado e em linha reta) normalmente durante as primeiras sessões.

Às vezes tenho de segurar o brinquedo/petisco na frente de onde estou para fazer com que o cão passe pelas varas e não apenas venha diretamente a mim sem passar pelo slalom.

Normalmente eu consigo ficar há três varas da direção do cão. Eu alterno com varas na esquerda e na direita de meu braço de forma que o cão faça o slalom em minha direção e eu possa puxar a parte traseira reta com o brinquedo/petisco, efetivamente puxando o brinquedo/petisco entre as varas, na mesma direção e seqüência que eu queira que o cão faça o slalom.

Quando eu faço isso, eu puxo o brinquedo/petisco por trás em minha direção, mantendo-o um pouco à frente do cão. Eu não faço com que o brinquedo/petisco faça o slalom ziguezagueando entre as varas em movimentos arqueados, eu o puxo de volta para mim em linha reta. Quando o cão chega no brinquedo (e em mim), ele é solto. Eu não me afasto das varas em nenhum momento. NOTA: você precisa manter seu corpo muito correto (sem movimentos de um lado para outro) quando você ensina em uma posição de chamada, senão o cão perde sua concentração nas varas e começa a olhar para você. Obviamente você está alcançando para fora o brinquedo/petisco em direção ao cão, você estará se movendo para frente e não parado de pé. É a dança no slalom, de um lado para outro que você precisa evitar. Se você treina sozinho, grave seu treino. E sim, no começo alguns cães se focam no brinquedo/petisco e não nas varas, mas eles começam a entender a idéia em algum momento para manter o foco nas varas. Se um cão perder uma vara, eu simplesmente recomeço com um: "Boa tentativa, vamos tentar novamente". Uma vez que eles têm sucesso em algumas vezes e pegam seus brinquedos/petiscos, eles pegam a idéias rapidamente. Eu também descobri que cães treinados para fazer o slalom com comando não se distraem nas varas tão facilmente.

Progredimos lentamente e trabalhando pelas varas até que esteja fazendo um conjunto completo de 12 varas ou mais. Toda vez que eu mover as varas até meia polegada eu movo de volta para abrir a base de uma das varas, mais ou menos na segunda ou terceira. Então eu trabalho de volta novamente pelas varas. Eu mantenho as varas a uma ou duas polegadas fora do centro por um momento, normalmente cerca de quatro semanas. Esse é o ponto no treinamento onde eu quero construir memória muscular e rítmica.

Nesse momento eu trabalho todas minhas entradas em ângulo. Quando as varas alcançam uma posição totalmente reta, o cão já tem experiência com entradas em ângulo. Uma vez que tudo isso é ensinado e as varas estão retas, eu começo a trabalhar o envio do cão pelas varas. Eu coloco o brinquedo/petisco em uma cadeira ou algo perto da altura da cabeça do cão e o mando para ele. Gosto de usar petisco ou um brinquedo em um potinho nesse ponto, pois se o cão não fizer o slalom ele não será recompensado a não ser que eu abra o potinho.

No estágio final, de aperfeiçoamento, eu começo a me mover ao lado do cão enquanto ele está nas varas. Eu trabalho para encontrar um lugar perto do cão onde ele se sinta confortável. Cada cão tem uma diferente zona de conforto onde ele quer que o condutor esteja e eu trabalho duro para encontrar essa "zona". Normalmente, eu descubro que manter meu corpo lado ao lado com seu ombro ou quadril e focando na vara à frente dele funciona melhor (embora um de meus cães goste que eu vá para o final, olhe para ele e espere por ele enquanto ele percorre o slalom até mim). Eu acrescento saltos antes e depois, tudo isso nesse momento.

Quando a entrada for um problema, problemas na saída ou em outros pontos aparecem (e isso realmente acontece), eu simplesmente dobro uma vara aqui ou ali e resolvemos o problema.

Note que eu não treinei meus cães apenas a fazer o slalom. Eu os treinei para fazer o slalom RÁPIDO e, claro, para fazê-lo com precisão. Isso é o que era importante para mim. Logo meu método de ensino do slalom não é para todos. Funcionou para mim com diversos cães e para a maioria dos cães de meus alunos. Dos meus dois cães que quebraram o recorde mundial, ambos aprenderam a fazer o slalom em cerca de cinco semanas. O Golden Retriever começou a treinar com 12 meses de idade, o Border Collie com cerca de seis meses. O Golden tem os melhores resultados gerais no slalom e é o mais consistente no slalom entre os meus cães. O Border Collie ainda tem alguns problemas na entrada (não diminui a velocidade e joga seu peso para trás na entrada, então eu tenho de desacelerá-lo "manualmente" com um comando de "deita"). Meu cão mais jovem, um BC começou a fazer o slalom com dez meses. Hoje ela tem doze meses e suas varas estão meia polegada fora do centro. Não temos trabalhado tão duro no slalom como com os outros dois, pois ela não está saindo para competir por alguns meses. Então, nada de pressão. Ela tem uma traseira curta... Será que ela vai fazer "single track"??? Veremos. O ritmo que ela achar o mais confortável para ela está bom para mim (não se pode forçar um cão a fazer "single track" se ele não foi feito para isso). Mas seja lá o ritmo que ela escolher... Eu vou treiná-la para fazer RÁPIDO! ;)

Nem todos os cães têm constituição para o "single track". Alguns cães são muito pequenos para o "single track". Eu uso esse método com todos meus alunos, com traseiro curto, longo, etc. Isso produz cães velozes no slalom, que usem o "single track" ou não. Qualquer ritmo que o cão ache confortável, eles o fazem com velocidade, precisão e alegria, o que é o aspecto mais importante em qualquer método que eu use. Isso funciona para mim.

....

......

..

 

Artigo publicado na Clean Run Magazine
© Chris Parker

* Chris Parker começou a trabalhar com cães em 1980, tendo treinado e participado de diversas disciplinas caninas como o Agility, Obediência, Campo, Pastoreio, Tracking, Conformação, Flyball, Earthdog, Freestyle, Frisbee e Road dog. Atualmente, compete com três Border Collies, um Golden Retriever e um Cairn Terrier. Com Mayhem, Chris foi selecionada para fazer parte do time americano no Mundial de Agility de 2002 em Dortmund. Chris e Mayhem são ainda recordistas mundiais em velocidade no slalom, passando por 60 varas em 9.54 segundos. Chris compete com sucesso nas provas da AKC e USDAA com seus três cães, Mayhem, Cajun e Frenzy.